domingo, 6 de março de 2011

Brasil: Povos Caçadores e Coletores

Os primeiros habitantes do Brasil eram nômades. Viviam principalmente da habitação a céu aberto ou em abrigos sob rochas e as vezes em cavernas. No interior das cavernas, os moradores costumavam fazer pinturas que mostrava imagens da vida cotidiana, como animais e pessoas.
As armas de pedra encontradas por pesquizadores eram usadas principalmente para abater animais. Anzóis feitos de ossos de pequenos animais, e conchas de caramujo perguradas foram outras descobertas feitas por arqueológos. Essas descobertas indicam que tais povos praticavam tambem a pesca e se alimentavam de caramujos de rios ou de mar.
No sul do Brasil, arqueólogos encontraram pontas de fechas feitas de pedras de diferentes formatos, usadas para abater animais mais ágeis, como os passaros. Acredita-se que os povos do Sul foram respónsaveis pela difusão do arco e da fecha entre as populações pré-historicas do Brasil.

Veja também: Pinturas Rupestres

O sitio de São Raimundo Nonato


No município de São Raimundo Nonato, no Piauí, as escavações levaram à descoberta de centenas de artefatos de Pedra lascada e pedaços de carvão vegetal. O sítio arqueológico Boqueirão da Pedra Furada, onde ocorreram as descobertas, é um abrigo rachoso cujas paredes estão cobertas por mais de mil figuras rupestres.
Os objetos encontrados no Piauí datariam mais de 50 mil anos atrás, quando a área era coberta por floresta tropical úmida e nela viviam animais como os gliptodontes e as preguiças-gigantes. Se essa esplicação fosse plenamente aceita pelos arqueologos, os objetos encontrados, passariam a ser as porvas mais antigas da presença humana na América
Muitos estudiosos, porém, não aceitam que os objetos encontrados no Piauí tenham sido produzidos por humanos. Esses pesquizadores afirmam que os artefatos de pedra e pedaços de carvão podem ser resultado de processos naturais, como p esfaceamento das rochas e os incêncios florestais.

Veja também:
China Parte 5: A formação da Dinastia Han

Esqueletos e objetos em Lagoa Santa


O estudo de fósseis gumanos no Brasil, começou no século XIX, com escavações nas grutas de Lagoa Santa, em Minas Gerais. Ali foram escontrados ossos de animais já extintos, além da ossada de trinta humanos. Ao lado dos ossos, havia ponta de flechas, machados e outras ferramentas de Pedra Lascada.
As escavações continuaram em Lagoa Santa. Em 1970, uma esquipe de pesquizadores descobriu varias sepulturas e um crânio feminino. Ele foi batizado de Luzia e ganhou um apelido carinhoso de "a primeira brasileira"
Após analizar esse crânio, os arqueologos concluiram que Luzia é o fóssil humano mais antigo já encontrado no Brasil,e o mais antigo da América. A partir da reconstituição da fisionomia de Luzia, feita por meio de progamas de coomputador, cientistas ingleses constantaram que ela teria caracteristicas muito parecidas com a dos Atuais africanos e australianos.
Essa descoberta elvou alguns estudiosos norte-americanos a sugerir que a América foi povoada por diversas levas de grupos humanos diferentes, e não só por asiáticos, como se imaginava.

Uma epoca muito diferente da atual

O Brasil encontrado pelos primeiros povoadores era bastante diferente do que é hoje.
  • o clima era mais seco e frio
  • As áreas florestais eram reduzidas e a maior parte do territorio estava coberta por vegetação rasteira, como os cerrados e caatingas
  • Os animais da fauna brasileiratambém é diferente dos de hoje. Existiam tigres-dente-de-sabre, gliptodontes e preguiças-gigantes, animais que depois desapareceram.
Essas pocuas informações que temos sobre o Brasil da espoca do povoamento foram obtidas graças ao estudo dos fósseis, que nos levaram a varias descobertas.

O início da Agricultura na América


As primeiras experiencias com a agricultura na América ocorreram nas terras do litoral do Equador e no Atural México, na América do Norte, por volta de 7 mil anos atrás. Os primeiros alimentos cultivados foram feijões de diferentes tipos; pimentões, abóboras, tomate e milho. Na América do sul, as primeiras plantas cultivadas foram a batata, a batata-doce, e a mandioca.
O desenvolvimento agrícola, alterou a vida das comunidades. O cultivo da terra levou os habitantes a adotar um novo modo de vida mais sedentário, diversificou a alimentação e favoreceu avanços técnicos, como as experiências com a seleção e o cruzamento de sementes,
é importante destacar, porém, que a caça e a pesca continuaram sendo praticadas por muito tempo. A agricultura, pelo menos, apenas complimentava as necessidades das aldeias.
  • O sedentarismo
s A permanência dos grupos humanos num mesmo território fez com que as comunidades fossem conhecendo melhor as espécies de plantas e animais dos ambientes em que vivia. Esse conhecimento permitiu-lhes aprender quais plantas devem ser cultivadas e como prepará-las para a alimentação.
Além da agricultura, outro fator que permitou os grupos humanos a se fixarem permanentement: a necessidade de homenagear seus mortos, enterrando os corpos nas proximidades do local de residência. O culto aos mortos, com o passar dos anso, foi se tranformando num ritual respeitado por toda a comunidade, sendo acompanhado de numerosas oferendas, como animais e ornamnetos. Tumbas, urnas funerárias e narrativas orais que chegaram até nós revela a importância dos rituais de homenagem aos mortos na vida religiosa dos antigos habitantes da América.
  • Avanços Técnicos
A prática agrícola possibilitou alguns avanços técnicos, como expêriencias com o cruzamento de plantasm a construção de canais de irrigação e o conhecimento sobre a sucessão das estações do ano.
Todas essas mudanças tiveram como efeito um grande aumento populacional, evidente na expansão do número de povoados. Novos povoamentos surgiram, alguns dos quais chegaram a reunir mais de mil pessoas e onde se construiram templos e pirâmides.
Logicamente essas mudanças variam de região para região. Em algumas áreas da América, como no Mexico e no Peru, a prática da agricultura favoreceu o surgimentos de cidades. porém, em outras a agricultura começou mais lentamente e os habitantes continuaram a viver em pequenos grupos nômades, sobrevivendo da caça, pesca e coleta

Veja também:
China Parte 4: Divisão social chinesa na dinastia Zhou

Mudanças na Vida humana


Nas regiões onde as mudanças climáticas foram menos acentuadas, as populações continuaram vivendo principalmente da caça de grandes animais. Mas, naquelas onde se formaram vastas florestas ou nas regiões de clima mais seco, as populações aprenderam a preparar armadilhas para aprisionar os animais menores e criaram novos hábitos alimentares, aproveitando sementes e alimentos de origem vegetal, que antes não eram consumidos.
Na região andina, por exemplo, o recuo das geleiras e a consequente desertificação do litoral, resultaram no esgotamento de muitos recursos vegetais e animais do meio natural. Diante desse problema, a saída foi explorar os produtos ocêanicos e iniciar o cultivo da terra

Mudanças Climáticas

Por volta de 10 mil anos atrás, a elevação da temperatura na Terra provocou o derretimento de grande parte da camada de gelo que cobria o espaço terrestre. O clima tournou-se mais quente e úmido. Essas alterações climáticas causaram muitas mudanças no ambiente.
  • O aumento do volume das chuvas e da umidade levou à formação de vastas áreas florestais e à destruição dos antigos habitats dos grandes animais, as savanas. Essa mudança no clima afetou também a África, mas lá, pelo contraio, os animais conseguiram se deslocar para outras áreas de savanas e sobreviveram. Por isso hoje, existem elefantes no continente africano, enquando seus antepassados, o mamute e p mastedonte, desapareceram nas Américas.
  • A ampliação das florestas e a redução das passagens provocaram a fome e a extinçaõ de muitos animais, como os mamutes, os mastedontes, as preguiças-gigantes e os gliptodontes (uma espécie de tatu gigante). Apenas os animais menores sobreviveram nas Américas. A anta, por exemplo, com no máximo 2 metros de comprimento, é o maior mamífero terrestre da América do Sul.
Essas mudanças climáticas provocaram alterações na forma de vida dos seres humanos, que tiveram que se adaptar para sobreviver

América: Povos nômades, caçadores e coletores

Os primeiros americanos se organizavam em grupos bastantes reduzidos, que vagavam em busca de caça. A pesca e a coleta de frutos também eram importantes.
Os grupos levavam uma vida nômade, deslocando-se constantimente em busca de alimentos. o descolamento contínuo desses grupos explica a difusão dos artefatos de pedra pela América. Armas parecidas com as de Clóvis, por exemplo, foram encontradas no México e em áreas da América Central.

Veja também: Mesopotâmia: uma história de grandes impérios 

Os caminhos para a América


Os primeiros habitantes da América não eram originários do própio continente. Com base nos estudos, os pesquizadores elaboraram diferentes explicações sobre a origem do homem americado. As principais explicações são:
  • O estreiro de Bering: um caminho gelado
    a
    s terras americanas começaram a ser povoadas quando os primeiros grupos humanos, vindos da Ásia, atravessaram o Estreito de Bering.
Essa travessia teria ocorrido na última glaciação, período em que o Estreito de Bering estava coberto de gelo, unindo o continente americado com o asiático. Os grupos humanos que chegaram á América por esse caminho desconheciam a navegação e fizeram o trageto a pé, provalvelmente perseguindo grandes animais.
Os pesquizadores que defendem essa explicação baseiam-se no estudo de fósseis e armas de pedra muito antigos, descobertos em síteos arqueológicos da América do Norte. Segundo eles, a ocupação ocorreu há cerca de 12 mil anos. Descobertas mais recentes, no entando, indicam que essa travessia pode ter ocorrido há 40 ou 50 mil anos.
  • Caminhos diversos: por terra e por mar
Outra explicação é a de que o povoamento do continente teria começado quando grupos humanos partiram das ilhas da Polinésia e Oceania, em pequenas embarcações, e chegaram à América do Sul navegando pelo Oceano Parcífico. Mais tarde, esses povos teriam se espalhado pelo continente americamo.
Os defensores dessa explicação também aceitam que os povos asiáticos chegaram à América atravessando o Estreito de Bering. Mas, para eles, não é correto afirmar que esse foi o único caminho utilizado

sábado, 5 de março de 2011

A escrita


Um dos principais resultados do surgimento das cidades foi desenvolvimento da escrita, por volta de 4000 a.C. Isso se deveu a vários fatores, entre eles:
  • a necessidade de contabilizar os produtos comercializados e os impostos arrecadados pelos servidores do rei;
  • o levantamento da estrytura das obras, que exigiu a criação de um sistema de sinais numericos para realizar os cáulculos geométricos.
Com a escrita, o ser humano criou também uma forma de resistrar suas idéias e de se comunicar. A linguagem escrita é especual porque permite que a vida de hoje seja conhecida pelas gerações futuras.

Primeiras cidades: A centralização Política

Com o desenvolvimento da agricultura e o aumento populacional, tounou-se necessário organizar melhor o trabalho na sociedade. Esse trabalho de coordenação era feito pela família mais poderosa, qua assumia o controle da produção de alimentos e da construção de obras públicas, como canais de irrigação e diques. O chefe dessa família passava então a ser um rei.
Para conseguir estender esse controle sobre toda a população, o rei utilizava seus própios servidores. Entre essas servidores, uns eram encarregados de resistrar as colheitas, outros eram respónsaveis pelo armazenamento do grãos, e assim por diante.
Originou-se assim uma organização de pessoas com plena autoridade sobre a população, que podiam, por exemplo, criar e cobrar impostos, organizar a defesa, fazer as leis e julgar os crimes. É o que chamamos de processo de centralização política ou de formação do Estado. O palácio era o local onde essas pessoas se reuniam com o rei.
Alem do palácio, existiam os templos, onde os sacerdotes cultuavam os deuses protetores da cidade.

Veja também:
O surgimento da Vida no Planeta
China Parte 3: A economia chinesa do período Chou (Zhou)

O comércio e a divisão do trabalho


A maior parte da população das cidades trabalhavam na agricultura e na criaçaõ de animais. A construção de sistemas de irrigação e de outras técnicas agrícolas ajudou a produzir ou seja, a obter alimentos mais que o necessário para o consumo. Esses excedentes puderam ser trocados com os excedentes de outros povos, dando origem ao comércio.
Como se produzia mais que o necessário para a sobrevivencia, o excedente de alimentos sustentavam também um grupo de trabalhadores que se dedicavam à prestação de serviços (medicps, soldados, sacerdotes, etc.) ou a fabricação de objetos (cerâmica, instrumentos de metal, tecidos). A especialização de trabalhadores em determinadas atividades profissionais é o que chamamos de processo de divisão de trabalho.
A especialização do trabalho permitio duas inovações técnicas muito importantes: a confecção de tecidos e a cerâmica.
  • os tecidos eram feitos com a lã de animais, como a ovelha. primeiro, com fusos de osso, fiava-se a lã; depois, os fios eram tecidos em teares muito simples.
  • Os objetos de cerâmica eram produzidos com argila modelada à mão e cozida em fogueiras. Usando essa técnica, os artesãos produziam vasilhas para armazenar alimentos, pratos, vasos decorativos e outros objetos
Algumas peças de cerâmica eram decoradas com pinturas. as mais belas serviam tamvem como meio de troca por produtos necessarios à população das aldeias
A necessidade de melhorar a produtividade agrícola e a divisão do trabalho tambem levaram as comunidades neolíticas a produzir uma importante invenção, o arado, que facilitava e agilizava o preparo da terra para o cultivo.

As primeiras cidades


O cultivo da terra permitiu que as sociedades produzissem mais alimentos. Com isso, a população humana cresceu mais rapidamente. Tornou-se assim ampliar as áreas cultivadas e desenvolver técnicas para melhorar a produtividade do solo.
As pequenas comunidades e aldeias começaram a se unir para construir sistemas de irrigação e aproveitar melhor as margens férteis dos rios. A união das aldeias, provocou a formação das cidades.
As primeiras cidades formaram-se nas proximidades de grandes rios, pois a água era essencial à agricultura. O surgimento das cidades indicava o nascimento das primeiras civilizações. Por se localizaram às margens de rios, ficaram conhecidas como civilizações fluviais.
  • no Vale do Rio Nilo, as cidades egípcias;
  • entre os rios Tigre e Eufrates, as cidades dos diferetes povos mesopotâmicos;
  • nos vales dos rios Hoang-Ho (Amarelo) e Yang Tse-Kiang (Azul), as cidades chinesas; e
  • no Vale do Rio Indo, as cidades indianas.
Nas terras hoje pertecentes à Turquia ergueu-se, cerca de 9 mil anos atrás, a cidade de Çatal Hüyük, uma das mais antigas do mundo. O núcleo urbano de Çatal Hüyük surgiu graças ao densenvolvimento da agricultura e da pecuária na região
Ao contrário dos agrupamentos humanos anteriores, as cidades tinham duas características básicas: maior divisão do trabalho e centralização política.

Veja também:
 China Parte 3: A economia chinesa no Período Zhou
O início da Agricultura na América

A Idade dos Metais


O primeiro metal ultilizado foi o cobre, há cerca de 7 mil anos, para fazer estatuetas e enfeites. Por ser um metal mole, era pouco ultilizado na fabricação de armas e ferramentas.
Mais resistente de o cobre, o bronze passou a ser usado cerca de 5 mil anos atrás, para produzir armas e ferramentas, entre outros objetos. Muitos povos, como os egípcios e os mesopotâmicos, conseguiram aumentar o seu poder militar graças ao conhecimente do uso do bronze, sobretudo na fabricação de armas.
O uso do ferro era raro e só se difundiu em torno de 1500 a.C. Nesse momento descobriu-se que o ferro, misturado a outros elementos quimicos, como o carbono e o manganês, produz ligas bastante resistentes.
Com o ferro foi possível produzir armas mais duradouras, aperfeiçoar intrumentos agrícolas, e criar novos tipos de utensílios e ferramentas, como o alicate.

Veja Também:
Egito

Uma revoluçaõ tecnológica

Até a invenção da metalurgia, isto é, a tecnica de trabalhar os metais, as comunidades fabricavam os objetos com pedras, ossos e amdeira. Há 7 mil anos, na região compreendida entre o Egito e a Índia, vários povos começaram a usar o metal para fazer ferramentas e utensílios.
O uso do metal trouxe muitas vantagens. Com ele podia-se fabricar utensílios mais afiados, mais resistentes e mais adptados à habilidade das mãos humanas. As armas se tornaram mais potente e aumentaram a eficiência da caça e pesca. No entanto, mesmo com o uso de metais, os instrumentos de pedra continuaram a ser fabricados.

A revolução agrícola


Acredita-se que as mulheres eram, em regal, responsáveis pela coleta de raízes e frutos, e assim puderam observar que as sementes das plantas, uma vez enterradas no solo, davam origem a novas plantas. A agricultura teria sido uma invenção da mulher. Assim, além de caçar, pescar e coletar, os seres humanos começaram a plantar e colher.
O cultivo das primeiras plantas ocorreu na Turquia e no Crescente Fértil, região localizada no Oriente Médio. O crescente Fértil se estendia do Vale no Rio Nilo, no Egito, até as margens dos rios Tigre e Eufrates, onde atualmente se localiza o Iraque.
As primeiras plantas cultivadas foram os cereais: o trigo, no Oriente Médio e na África; o arroz, na Índia e na China; e o milho na Ámerica

A revolução agrícola

A era da Pedra Polida (Neolítico)

Por volta de 8000 a.C., os grupos humanos começaram a fabricar armas e utensílios com pedras polidas. Alguns desses utensílios eram enxadas, foices, pilões e machados. As mais antigas pedras polidas foram encontradas no oriente médio
Há cerca de 10 mil anos, o ser humano começou a praticar a agricultura, mudando radicalmente a sua vida e a face do planeta.

As ferramentas do Paleolítico


Os seres humanos evoluíram a partir de uma característica particular: sua capacidade intelectual. Com sua inteligência, foram capazes de criar ferramentas que facilitaram suas vidas.
As ferramentas fabricadas pelos primeiros grupos humanos foram: facas, para cortar carnes e peles; raspadores, com os quais separavam a pele dos animais, a fim de utilizá-la como vestimenta e abrigo; pontas de lanças e de fechas, para caçar. agulhas para costurar; arpões de pesca, entre outras;
A maior parte das ferramentas do Paleolítico, eram de pedra, mas também se utilizavam a madeira e o osso
Um passo importante nesse período, foi o domínio do fogo, um passo que ocorreu por volta de 500 mil anos atrás. Com o fogo foi possível afugentar os animais, iluminar os caminhos e as moradias à noite, e cozinhar.

Veja também: 
Os caminhos para a América

A vida no Paleolítico


Os primeiros humanos viviam da caça, da pesca e da coleta de frutos silvestres. Eles viviam em regiões de savanas, em moradias simples, feitas da combinação de madeira ou ossos, para a estrutura, e peles, para a cobertura. Outros ainda se abrigavam em cavernas ou viviam em céu aberto. Eles caçavam mamutes, bisões e outros animais, utilizando carne como alimento, as peles para fazer suas roupas e os ossos para fazer pontas de lanças.
Os seres humanos do Paleolítico era nômades, ou seja, não tinha moradia fixa. Viviam se deslocando de uma região a outra, em busca de alimentos. Eles ainda não domesticavam animais e também não praticavam a agricultura

A era da Pedra Lascada

Paleolítico (da pedra antiga ou pedra lascada) é o nome que se dá ao período da história humana que vai no aparecimento do gênero homo, há cerca de 2 milhões de anos, até o inicio da prática da agricultura, ocorrido há cerca de 10 mil anos.
O paleolítico foi um período muito longo. Durante quase dois milhões de anos, os hominídeos foram se adaptando à natureza: em vez de conservar o fogo, que era ateado nas matas por raios, eles começaram a produzi-lo. Suas ferramentas também foram se aperfeiçoando, e eles produziram as primeiras manifestadões artísticas.

Os primeiros Humanos


O gênero Homo, do qual fazemos parte, originou-se há cerca de 2 milhões de anos. Maior volume cerebral, e habilidade nas mãos o diferenciarem dos australopithecus. As seguintes espécies fazem parte desse gênero:
  • Homo habilis - como o nome indica, já tinha a habilidade de fabricar ferramentas simples de pedra. Alimentavam-se de vegetais e carne, e provavelmente desenvolveu uma forma de linguagem. Ossos dessas espécies foram encontrados na África.
  • Homo erectos - alem de utilizar ferramentas de pedra lascada, como machados, era bom caçador. Foi provavelmente a primeira espécie a deixar a África. Em 2001, pesquisadores encontraram, na República da Geórgia, ossos humanos de datam de 1,7 a 1,8 milhões de anos. Esses achados foram classificados como pertencentes à espécie do Homo erectos
  • Homo neanderthalensis - muito parecido com o ser humano moderno, era caçador, e suas diferentes subespécies habitaram a Europa e a Ásia Ocidental.
  • Homo sapiens - surgiu há pelo menos 100 mil anos, em algum lugar da África, e se espalhou depois por todos os continentes. Era caçador e coletor antes de começar a praticar a agricultura. Também construiu instrumentos diversos e mais elaborados. O ser humano atual, é representante da espécie homo sapiens, a única que conseguiu sobreviver.

Imagine todos os acontecimentos transcorridos na Terra desde a sua formação. há aproximadamente 4,5 bilhões de anos, colocados num calendário anual. A vida no planeta teria surgido no dia 25 de setembro, e os primeiros hominídeos somente no dia 30 de dezembro. Descobrimos, ao fazer essa conversão que o ser humano é ainda um recém-nascido no planeta.

sexta-feira, 4 de março de 2011

Os Hominídeos

 Fazemos parte de um grupo de mamíferos, chamados primatas, que surgiu na África há cerca de 70 milhões de anos. De acordo com os fósseis até então encontrados, chegou-se à conclusão de que os primeiros primatas tinham o tamanho de um rato, alimentavam-se de insetos, ou animais um pouco maiores, e sua aparência lembrava os lêmures atuais.
Os primatas deram orgiem aos hominídeos, ou seja, seres que já apresentavam algumas características humanas. Os mais antigos desses hominídeos foram os australopithecus ou "macacos do sul" (viviam no sul da África). Os australopithecus já andavam eretos sobre os dois pés e tinha pouca habilidade nas mãos. Eles alimentavam-se basicamente de vegetais.
Em 1974 , na Etiópia, descobriu-se o esqueleto de um australopithecus quase completo, de 3 milhões de anos. Depois de se comprovar que se tratava de uma mulher, o esqueleto foi batizado com o nome de Lucy, porque no momento da descoberta, os arqueólogos estavam ouvindo a canção Lucy in The sky with diamonds, The Beatles

Veja também: 
América: O milho, da América para o mundo (Parte 1)

O surgimento da Vida

Há duas hipóteses principais sobre o surgimento da vida no nosso planeta. De acordo com a primeira, os seres vivos originaram-se de compostor orgânicos; de acordo com a segunda, a vida tem origem extra terrestre;
  • primeira hipótese. Os seres vivos surgiram de compostos orgânicos muito simples. Esses compostos foram formados com a combinação de gases da atmosfera, que se deveu a violentas descargas elétricas, ás radiações solares e elevadas temperaturas.Isso teria ocorrido cerca de 4 bilhões de anos, os compostos orgânicos deram origem aos primeiros organismos vivos
  • segunda hipótese. A vida na terra se iniciou a partir de micro organismos trazidos por meteoros vindos do espaço.
A primeira hipótese é a mais aceita porque foram encontradas muitas evidências a seu favor e as condições imaginadas pelos cientistas puderam ser reproduzidas em laboratórios.